17/11/2006 07h45 – Atualizado em 17/11/2006 07h45

O Dia

Acusados pela funkeira Tatiana dos Santos Lourenço, a Tati Quebra-Barraco, 26 anos, de tentativa de extorsão, quatro PMs vão prestar queixa-crime por calúnia contra a cantora na 21ª DP (Bonsucesso) na tarde de sábado, na capital fluminense. Em entrevista coletiva, terça-feira, Tati pediu desculpas publicamente por ter chamado os policiais de ¿mortos de fome¿ na véspera, mas reafirmou que eles teriam ficado de olho em seu cordão de ouro, avaliado em R$ 15 mil, e que um deles teria pego radiotransmissor e R$ 40 reais em seu Citroën Xsara Picasso. Ela foi detida naquele dia por dirigir sem habilitação ao sair de uma festa na Mangueira. O comandante do 22º BPM (Maré), onde os PMs são lotados, tenente-coronel Ruy Loury, disse que, apesar da ação que será movida por seus subordinados, abriu procedimento administrativo para apurar as denúncias da funkeira. “Qualquer denúncia que ponha em dúvida a boa conduta dos policiais tem que ser apurada” O assessor de Tati Quebra-Barraco, Paulo Sérgio, afirmou que vai procurar o relações-públicas da PM, tenente-coronel Aristeu Leonardo, para saber se as desculpas através da entrevista à imprensa foram aceitas pela corporação. Aristeu disse, porém, que até o início da noite de ontem não recebera pedido formal de reunião de ninguém da produção da funkeira. Tati está na Argentina, onde faz shows, e só voltará ao Rio segunda-feira.

Comentários