18/11/2006 12h55 – Atualizado em 18/11/2006 12h55

G1.com.br

Policiais do Departamento de Homicídios e Proteção è Pessoa (DHPP) adotaram neste sábado (18) uma nova linha de investigação no caso do assassinato a facadas do casal de idosos em Perdizes, Zona Oeste de São Paulo. Um dos filhos das vítimas, Rogério Gonçalves Tavares, de 42 anos, que chegou a ser tratado como suspeito por um delegado na manhã de sexta-feira (17), agora é considerado vítima.

Na noite de sexta-feira, os delegados do DHPP estiveram na residência e encontraram manchas de sangue na casa ao lado, além de pegadas na parte de dentro da residência onde ocorreu o crime até o muro, o que pode indicar que uma quinta pessoa esteve no local e depois fugiu. Os policiais ainda procuram a arma do crime.

Uma equipe de policias do DHPP, comandada pelo delegado José Venceprova, está desde o início da manhã deste sábado (18) na casa na Rua Cayowaá, onde ocorreu o assassinato do casal Sebastião Esteves Tavares, 71 anos, e Hilda Gonçalves, 68, mortos a facadas na manhã de sexta-feira (17). Os policiais estão colhendo mais provas e ouvindo moradores das redondezas.

Os delegados do DHPP José Venceprova, Rodolfo Chiarelli e Leandro Árabe disseram na tarde de sexta-feira que era totalmente prematuro apontar um suspeito para o crime, mas que não descartavam nenhuma hipótese. Venceprova e Chiarelli evitaram usar a palavra “suspeito” para o funcionário público Rogério Gonçalves Tavares, de 42 anos, um dos filhos do casal.

Em depoimento na tarde de sexta-feira à polícia, Rogério disse à polícia que um homem encapuzado entrou na casa para assaltar a família.

Comentários