Dois deles estavam em São Leopoldo, na Região Metropolitana de Porto Alegre; 3 na divisa de Torres, no RS, com Passo de Torres, em SC; e um Três Cachoeiras. Uma mulher suspeita foi presa em São Paulo.

GLOBO.COM – Seis homens suspeitos de participar do roubo a uma agência do Banco do Brasil em Criciúma, Santa Catarina, foram presos na tarde desta quarta-feira (2) e na madrugada desta quinta (3), segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Na noite de segunda-feira (30), cerca de 30 pessoas encapuzadas causaram terror na cidade ao roubar o cofre de uma agência do Banco do Brasil. Funcionários foram feitos reféns, vias foram bloqueadas e disparos com armas de grosso calibre foram efetuados. A ação criminosa durou até a madrugada de terça-feira (1º).

Na madrugada desta quinta-feira (3), o Batalhão de Operações Especiais (Bope) prendeu um suspeito em uma casa na cidade de Três Cachoeiras (RS), que fica a cerca de 100 km de Criciúma.

Segundo a polícia, o local teria sido usado como transição para a fuga dos assaltantes. Foram encontradas roupas com sangue, acionador de explosivo e um furgão. O homem é o sétimo preso suspeito de participar do crime.

No inicio da tarde da quarta-feira, dois homens foram encontrados em um viaduto da BR-116 em São Leopoldo, na Região Metropolitana de Porto Alegre. Eles foram levados até o Departamento Estadual de Investigações Criminais da Polícia Civil, na capital.

Os outros três suspeitos foram localizados entre a divisa de Torres, no Litoral Norte gaúcho, e Passo de Torres, já em Santa Catarina. A delegacia de polícia de Araranguá, localizada a cerca de 35km de Criciúma, recebeu esses suspeitos.

Também na tarde de quarta, uma mulher de 31 anos foi presa em São Paulo suspeita de participação no mega-assalto. Ela foi localizada, após uma denúncia, no Jardim Reimberg, Zona Sul da capital paulista. Com a mulher os policiais encontraram malotes de dinheiro do Banco do Brasil, que serão periciados.

Na terça-feira (1°), um galpão usado pelos criminosos foi encontrado pela Polícia Militar na cidade vizinha de Içara, a cerca de 9 quilômetros de Criciúma.

Comentários