Jovem de 18 anos havia sido colocado em quarentena, mas não estaria respeitando a medida; infração pode valer até quatro anos de reclusão

Um jovem de 18 anos, que estava na festa que acabou contaminando sete pessoas com o coronavírus em Brasilândia, estaria participando de rodas de tereré e visitando pessoas em outras cidades, mesmo sabendo que estava contaminado e deveria permanecer isolado.

A denúncia foi feita por moradores de Brasilândia, que ligaram para a polícia para informar que “o menino de 18 anos foi visto hoje andando pela rua” e que “ele estava em uma roda de amigos”.

Servidores da Vigilância Sanitária local também relataram dificuldades em convencer os presentes naquela reunião de que todos que tiveram contatos com o primeiro paciente infectado deveriam permanecer em isolamento. Teria sido necessária, inclusive, atuação conjunta da Polícia Civil nas visitas às casas de referidas pessoas para reforçar a orientação quanto à necessidade de isolamento.

Agentes de saúde também tiveram conhecimento de que o jovem, alvo da denúncia, não estaria cumprindo as determinações do serviço de saúde quanto ao isolamento, expondo várias pessoas a risco de contaminação.

A Policia Civil irá instaurar Inquérito Policial para apurar os fatos, que pode caracterizar infração de medida sanitária preventiva, previsto no artigo 268 do Código Penal, com pena de até um ano de detenção ou mesmo o crime tipificado no artigo 131 do Código Penal (perigo de contágio de moléstia grave), cuja pena pode variar de um a 4 anos de reclusão.

O adolescente teria sido visto em uma roda de tereré com outros jovens e visitado pessoas em outras cidades, ciente de que estava contaminado e de que o contato com outras pessoas poderia transmitir a doença.

Brasilândia registra sete casos confirmados de Covid-19, todos entre as pessoas que participaram dessa reunião familiar. Outros 15 casos estão em investigação e o serviço de saúde monitora a evolução do quadro de saúde dessas pessoas, que devem permanecer em isolamento.

Em reunião realizada na tarde de ontem, entre a Prefeitura, autoridades de saúde, Ministério Público, Polícia Civil, Polícia Militar e Poder Legislativo Municipal ficou acertada a publicação de um novo decreto municipal com regras para o controle da disseminação do vírus, como o fechamento de estabelecimentos comerciais não essenciais, proibição de aglomerações, horários especiais para atendimento de idosos e pessoas vulneráveis nos estabelecimento essenciais, toque de recolher a partir das 20h, uso obrigatório de máscaras e outras medidas sanitárias.

A Polícia Civil reforça que os telefones para denúncias são 67 999879169 e 67 999195990. Ambos recebem informações via WhatsApp e o anonimato é garantido.

Comentários