30/04/2013 16h24 – Atualizado em 30/04/2013 16h24

Escolas que querem ter ensino em tempo integral devem fazer o cadastramento no Sistema Integrado de Monitoramento e Controle do MEC. Já as 32 mil unidades escolares que estão no programa precisam confirmar a readesão

Da Redação

O Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) e o Ministério da Educação (MEC) prorrogaram até 31 de maio o prazo de adesão ao Programa Mais Educação. A adesão é feita por meio do Sistema Integrado de Monitoramento e Controle (Simec) do MEC, no endereço http://simec.mec.gov.br/. O encerramento do cadastramento das escolas pré-selecionadas estava previsto inicialmente para esta terça-feira (30).

Atualmente, 32 mil escolas já participam do Mais Educação. Essas unidades de ensino precisam fazer a readesão ao programa também até o dia 31 de maio.

A expansão da educação integral é prioridade para o governo federal. “Temos que avançar sempre”, diz o diretor do Departamento de Condicionalidades do MDS, Daniel Ximenes. “Por isso, é fundamental garantir mais adesão ao programa entre as escolas com maioria de alunos em situação de pobreza e extrema pobreza e que estejam incluídos no Programa Bolsa Família.”

A meta do governo federal é chegar a 45 mil escolas com ensino em tempo integral até o fim do ano e a 60 mil até 2014. No caso das 32 mil escolas que já integram o Mais Educação, a readesão é necessária para que elas ampliem ou alterem os tipos de atividades escolhidas anteriormente, a fim de que haja ajuste no repasse de recursos.

“Vale reforçar a importância de as escolas que já oferecem educação integral fazerem os novos planos de readesão e buscar a ampliação do número de alunos envolvidos nas atividades do contraturno”, destaca o diretor de Renda e Acesso a Serviços do Plano Brasil Sem Miséria do MDS, Marcelo Cabral.

As escolas das redes públicas estaduais, municipais e do Distrito Federal que participam do Mais Educação recebem recursos adicionais para oferecer ensino em tempo integral, com no mínimo sete horas diárias. Elas podem desenvolver as seguintes atividades: acompanhamento pedagógico, educação ambiental, esporte e lazer, direitos humanos em educação, cultura e artes, cultura digital, promoção da saúde, comunicação e uso de mídias, investigação no campo das ciências da natureza e educação econômica.

(*) Com informações de Assecom Ministério do Desenvolvimento Social

Comentários