06/05/2015 16h40 – Atualizado em 06/05/2015 16h40

Para esse reajuste, Prefeitura terá que demitir mais 200 servidores

Assessoria

A Prefeita de Três Lagoas Marcia Moura (PMDB), esteve na manhã desta quarta-feira (6) em seu gabinete reunida com o presidente do Sindicato dos Enfermeiros, Técnicos e Auxiliares de Enfermagem Serviços Públicos (Setasp) de Três Lagoas, João Carvalho, onde propôs uma nova contraproposta de reajuste salarial de 6% que contemplaria toda a categoria e o restante dos servidores públicos municipais.

A medida foi uma forma de atender a classe, em especial, aos enfermeiros que trabalham na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e Serviço de Atendimento Médico de Urgência (SAMU) que estão desde o último dia 1º de maio em greve e atendendo de forma reduzida.

Na reunião, Marcia falou que em análise com a sua equipe econômica e administrativa, a nova contraproposta para esse novo reajuste terá que haver a demissão de mais 200 servidores. Desde o início do ano, a prefeitura já demitiu 250 servidores em decorrência do concurso público e também para ter o enxugamento da máquina pública.

Marcia lembrou que o cenário de crise econômica a nível nacional afetou diretamente o Município, com a queda de repasses federais e estaduais, ocasionando em não atender um reajuste maior desejado pela categoria. “Sabemos da preocupação e luta de vocês, sou parceria, mas mediante do que podemos é isso. O que está ao nosso alcance já fazemos, como os benefícios da aposentadoria privada e pagamos o salário em dia”.

A prefeita também ressaltou que atualmente a Prefeitura está arcando financeiramente com o UPA aproximadamente R$ 800 mil, enquanto o Governo Federal repassa R$ 275 mil e o Estado por volta de R$ 100 mil, ficando a maior parte para Administração Municipal. Além disso, o Município repassa verba para o Hospital e atende liminares da Justiça de casos de solicitações de medicamentos, cirurgias e outras demandas que deveriam ser atendidas pelos Governos do Estado e Federal. “Temos que lembrar a importância do equilíbrio financeiro, pois se eu der o reajuste que vocês esperam, infelizmente não conseguiremos arcar com as despesas”, disse.

SINDICATO

O presidente junto com a diretoria aproveitou o momento para colocar outras reivindicações em pauta, tais delas, a redução da jornada de trabalho dos enfermeiros que é atualmente de 40 horas semanais, para 30, atendendo o Conselho Federal de Enfermagem. Segundo o presidente a medida está em discussão no congresso, entretanto, alguns Estados e Municípios já seguem o que poderia beneficiar servidores que trabalham na rede de urgência e emergência do Município.

Em resposta, Marcia disse que no momento o pedido não seria atendido, mas uma nova reunião poderia ser discutida essa reivindicação e até nesse tempo, o Sindicato ficaria responsável em encaminhar o estudo de impacto econômico na folha de pagamento com essa mudança. “Podemos conversar sobre as outras propostas em outros momentos, mas devemos lembrar que temos que pensar no todo, pois a Prefeitura possui 3.860 profissionais nas mais diversas áreas e não podemos desmerecer ninguém”, disse.

Além disso, a diretoria também pediu para que a Prefeitura verificasse a melhoria da refeição, o retorno do café da manhã servido aos profissionais, a falta de medicamentos nas unidades e a equiparação salarial dos enfermeiros em relação às outras classes.

DECISÃO

No final da reunião, o setor jurídico elaborou um ofício, informando formalmente a contraproposta de 6% e o agendamento da próxima reunião para o dia 9 de junho, sendo que em contrapartida o Sindicato apresentasse um estudo do impacto.

O presidente do Setasp declarou que a diretoria deve se reunir ainda na tarde desta quarta-feira (6), para decidir se terá continuidade a greve, mas adiantou que com o ofício em mãos, a contraproposta deverá ser discutida junto à categoria em assembleia que será nesta quinta-feira (7), às 18h, na sede da Assembleia.

A nova contraproposta também será discutida pelo presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (SSPM), José Antônio Vieira, em assembleia que será nesta quarta-feira (6) junto com os servidores públicos municipais.

PRESENÇA

Participaram da reunião os secretários municipais de Finanças e Controle, Fernando Pereira; de Administração, Janaína Lunardi; de Saúde Pública, Eliane Brilhante; Assessor Jurídico, Clayton Mendes Moraes e o Assessor de Recursos Humanos, Ruiller Cesar Ferreira Dias, as vereadoras Marisa Rocha (PSB), Vera Helena (PMDB) e Sirlene da Saúde (PROS) – integrantes da comissão de vereadores da Saúde, além da diretoria do SETASP.

(*) Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Três Lagoas

Na reunião, Marcia falou que em análise com a sua equipe econômica e administrativa, a nova contraproposta para esse novo reajuste terá que haver a demissão de mais 200 servidores. (Foto: Assessoria)

Participaram da reunião os secretários municipais de Finanças e Controle, Fernando Pereira; de Administração, Janaína Lunardi; de Saúde Pública, Eliane Brilhante; Assessor Jurídico, Clayton Mendes Moraes e o Assessor de Recursos Humanos, Ruiller Cesar Ferreira Dias, as vereadoras Marisa Rocha (PSB), Vera Helena (PMDB) e Sirlene da Saúde (PROS). (Foto: Assessoria)

Comentários