06/06/2017 09h30

Investigadora se passou por cliente e negociou compra de medicamento. Entregador foi preso e apontou mulher responsável pelo negócio

Redação

Uma mulher de 27 anos e um homem de 28 foram presos, segunda-feira (5), pela venda ilegal de medicamentos, no bairro Aero Rancho, na região sul de Campo Grande. De acordo com o boletim de ocorrência, a ação do casal foi descoberta depois de uma tentativa de suicídio.

Uma mulher tentou se matar ingerindo medicamentos usados por um parente que faz tratamento contra o câncer. O marido, de 32 anos, conseguiu impedir o suicídio e após isso descobriu que esposa havia comprado remédios de uso controlado via WhatsApp.

Ele novamente impediu que ela fizesse o uso indevido do medicamento e avisou a polícia sobre a venda ilegal. Uma investigadora assumiu o papel da compradora e usou o celular da mulher para fazer uma nova encomenda.

Os policiais combinaram um encontro em frente ao posto de saúde do bairro Aero Rancho. O homem estacionou o carro, entregou o medicamento à policial, recebeu o dinheiro e em seguida foi preso em flagrante.

O homem apontou o nome e o endereço da mulher que seria responsável pelo negócio. Na casa dela, na rua Monsenhor Sarrion, os policiais encontraram vários medicamentos sem comprovação de origem.

A dupla foi levada para a Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac), do bairro Piratininga. O caso foi registrado como falsificação ou adulteração de produto destinado a fins medicinais, de procedência ignorada.

(*)G1.COM

Carro usado em entrega de medicamento vendido ilegalmente (Foto: Osvaldo Nóbrega/TV Morena)

Comentários