17/10/2015 11h27 – Atualizado em 17/10/2015 11h27

Com a greve dos bancários por tempo indeterminado e há mais de 10 dias, muitos consumidores têm enfrentado um dilema no pagamento das contas.

Da redação

Com a greve dos bancários por tempo indeterminado e há mais de 10 dias, muitos consumidores têm enfrentado um dilema no pagamento das contas.

De acordo com a superintendente do Procon/MS, Rosimeire Cecília da Costa, tem acontecido episódios onde mesmo com a possibilidade de usar canais alternativos para transações bancárias, os consumidores enfrentarem dificuldades. “Houve um caso onde uma idosa não conseguiu sacar o benefício da sua aposentaria, daí tivemos que intervir diretamente na ouvidoria do banco”, contou.
Em casos semelhantes, a superintendente orienta que os consumidores procurem o Procon/MS através do disque 151. “O consumidor não pode ser prejudicado em razão da greve, pois se trata de uma situação alheia a sua vontade. Os bancos estão orientados a fazerem a manutenção, ou seja, no mínimo disponibilizar envelopes no autoatendimento”, explicou.

Ainda segundo Rosemeire, contas de água, luz e telefone podem ser pagas em casas lotéricas, correios e em alguns supermercados. Já as contas que não puderem ser pagas por meios alternativos a orientação é que o consumidor entre em contato com o fornecedor. “Lembrando que se o pagamento for realizado diretamente com a empresa, ou em outro local, não esquecer de pedir o recibo”, frisou a titular do Proncon/MS.
É de responsabilidade do fornecedor oferecer meios viáveis para que o consumidor faça o pagamento, isso é direito do consumidor e faz parte do exercício comercial. Não havendo meio viável para o pagamento, o consumidor não pode arcar com qualquer penalidade pelo atraso. “A greve não é de responsabilidade do consumidor, nem do fornecedor. Recomendamos que situações atípicas sejam denunciadas pelo disque 151″, finalizou Rosimeire.

(*) Notícias MS – Texto: Raquel Pereira

Sede do Procon/MS em Campo Grande (FOTO: Chico Ribeiro).

Comentários