17/03/2012 10h44 – Atualizado em 17/03/2012 10h44

Projeto Bom de Bola, Bom na Escola completa dois anos e deve atender mais sete municípios .

Da Redação*

O projeto “Bom de Bola, Bom na Escola” da Polícia Militar (PM) completa dois anos de existência. Ao longo deste período já atendeu diversos adolescentes de 12 a 17 anos aproximando a polícia da comunidade, da escola e da família. O objetivo é levar mais do que a prática do futebol, aulas de cidadania, Ressaltando a importância dos estudos e da família, bem como ações contra violência e drogas.

Juntos, pais e professores incentivam os participantes dos projetos na prática esportiva e na conquista de boas notas. “A cada dois meses realizamos reuniões com pais, professores e diretores das escolas em que o projeto funciona, com intuito de saber como está o desempenho escolar dos alunos, bem como orientar a escola e os responsáveis pelos adolescentes”, explica o coordenador estadual do projeto, major Juracy Pereira da Paz.

O projeto com aulas teóricas, que abrangem 12 disciplinas e aulas práticas é realizado duas vezes por semana no período em que os alunos não estão em sala de aula. “O futebol é o grande atrativo para os alunos e nas aulas procuramos repassar conceitos de cidadania, noções de disciplina e higiene pessoal e ainda abordar assuntos como o perigo das drogas e a violência. Procuramos também debater o Estatuto da Criança e do Adolescente e medidas para prevenir o bullying escolar”, comenta o major.

Com o Bom de Bola, Bom na Escola, a filosofia do policiamento comunitário se fortalece e aproxima o policial da comunidade. Atualmente, os batalhões da PM da Capital vêm utilizando os procedimentos comunitários conquistando a confiança das comunidades gradativamente.

“Conseguimos aproximar a Polícia Militar da comunidade, além de vincular junto aos adolescentes e no núcleo familiar a figura da polícia como uma mão amiga para auxiliar a comunidade. Pudemos perceber uma grande mudança no comportamento dos adolescentes. Eles estão mais responsáveis, mais participativos e mais próximos de suas famílias”, enfatiza o major Pereira.

Projeto

O projeto Bom de Bola, Bom na Escola teve início em abril de 2010 pelo 9° Batalhão da Polícia Militar (BPM). Hoje, integram as ações uma pedagoga disponibilizada pela Secretaria de Estado de Educação – que avalia a parte pedagógica das aulas teóricas ministradas aos adolescentes – e dois policiais, sendo um profissional de educação física e outro ex-jogador de futebol profissional. Em média cerca de 50 jovens participam do projeto realizado pelo 1º, 9º e 10º BPM e também o Centro de Formação de Aperfeiçoamento de Praças (Cfap) da Polícia Militar.

Atualmente quatro municípios já contam com as ações realizadas pelo Bom de Bola. Em Campo Grande o projeto já acontece no polo esportivo da Vila Nasser, na Escola Ada Teixeira (no bairro Campo Belo) e nas Bases Comunitárias do Coophavila II, União e Jardim Colorado, no Parque das Águas. Já no interior o projeto está em andamento nos municípios de Aquidauana, Jardim e Pedro Gomes.

Uma nova fase de implantação está prevista ainda para o primeiro semestre deste ano. Os municípios de Corumbá, Ponta Porã, Dourados, Fátima do Sul, Sete Quedas, Iguatemi, Nioaque serão os próximos a receber o projeto.

Critérios de seleção

Para participar do Bom de Bola, Bom na Escola, o adolescente deve ter entre 12 a 17 anos, estar matriculado e frequentando uma escola pública e ter interesse pelo esporte. O pai ou responsável precisa autorizar a participação do aluno, comprometendo-se em auxiliar o estudante no desempenho na escola. “No início não fazemos a exigência e nem vinculamos a participação do adolescente a boas notas, mas no decorrer do projeto ele deve melhorar seu desempenho escolar”, enfatiza o coordenador.

(*) Com informações Noticias/MS

Comentários