14/11/2006 08h34 – Atualizado em 14/11/2006 08h34

Campo Grande News

A audiência entre o governador eleito de Mato Grosso do Sul, André Puccinelli (PMDB), e o presidente reeleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ainda não foi agendada. “Como não pedimos, estamos aguardando ser chamados”, salientou André em entrevista ao jornal Bom Dia MS, da TV Morena. De acordo com Puccinelli, a relação com o presidente, que pertence a um partido que rivaliza com o PMDB no Estado, será formal. “Com Mato Grosso do Sul sendo atendido não temos nada a conversar”, assegura. Na pauta da reunião, devem constar a renegociação da dívida do Estado e a Lei Kandir. “Os dez Estados mais endividados não conseguem pagar os juros”, observa. Quanto a indicar cargos na administração federal, o governador eleito afirma que não recusará. Neste caso, a preferência é que o cargo seja ocupado por um funcionário de carreira, “para que trabalhe bem no órgão federal”. Sobre a diminuição de repasses aos poderes, André ressalta que vai buscar o diálogo. “Claro que terá muito diálogo. Sem diálogo você não consegue as coisas”. Ele citou que se o Estado conseguir aumentar a arrecadação, um índice menor de repasse pode representar a mesma arrecadação nominal.

Comentários