Desses, 13 são policiais civis; relatório é da Secretaria de Justiça e Segurança Pública do Estado. Um deles, o investigador Waldir Rojas (foto) morreu em decorrência da doença

Dentre os mais de seis mil contaminados pela Covid-19 em Mato Grosso do Sul pelo menos quarenta são profissionais dos serviços de segurança pública.

Os dados são de relatório da Secretaria de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), de acordo com levantamento feito até ontem, 23. Estão incluídos na lista servidores da pasta, como policiais civis, militares, agentes penitenciários e bombeiros.

Dentre os 40 contaminados pelo novo coronavírus, 13 são policiais civis. Havia, ainda, até ontem, outros 11 casos suspeitos na corporação, 160 casos descartados e um afastamento em função de o servidor integrar o grupo de alto risco. O último registro de caso positivo foi na DEAM de Paranaíba.

O Sindicato dos Policiais Civis do Mato Grosso do Sul (Sinpol) afirma que insiste na cobrança por EPIs (Equipamentos de Proteção Individual), testagem e, inclusive, pede o aumento da oferta de leitos em UTIs em regiões onde a situação se agravou, como em Ponta Porã, onde, no dia 11/06, faleceu o investigador de polícia, Waldir Rojas (foto), de 52 anos.

“Estamos atuando na linha de frente de combate à pandemia, em ações conjuntas com outros órgãos de segurança, além da custódia em delegacias e o atendimento regular à população, por isso nossa atenção neste momento é redobrada no sentido de garantir que os profissionais estejam trabalhando em condições seguras, conforme determinam os protocolos sanitários”, diz o presidente em exercício, Pablo Rodrigo Pael.

No relatório da Sejusp, constam, entre todas as forças, 22 casos recuperados. A Covid-19 se encontra em transmissão comunitária e, segundo a Secretaria, dos casos confirmados, quatro foram contraídos em serviço, dois são considerados inconclusivos quanto à origem da contaminação e os demais seriam fora de serviço.

Comentários