19/11/2018 09h59

Registro da foto oficial de encontro de “Sete Galos” causa polêmica ao usar pista de caminhada da Lagoa Maior

“Aconteceu muito rápido e assim que foram orientados a não subir na pista, eles tiraram as motos”, afirmou o secretário de Meio Ambiente

Gisele Berto

Aconteceu ontem, 18, em Três Lagoas, o encerramento do 10º Encontro Nacional de CBX750, conhecida como Sete Galo.

Dezenas de motociclistas de todas as partes do Brasil estiveram na cidade, hospedados no Hotel Vila Romana, desde o dia 15.

No entanto, um fato desagradável marcou o momento que marcaria o encerramento do evento: apesar de ter autorização da Secretaria do Meio Ambiente para tirar a foto oficial do Encontro na Lagoa Maior, os participantes do evento “avançaram” além da conta, parando as motocicletas em cima da Pista de Saúde.

Pessoas presentes no local tiraram fotos do momento que, segundo o Secretário da pasta, Toniel Fernandes, foi muito rápido. “Nós estávamos acompanhando, junto com a polícia militar. Eles tinham autorização para tirar foto na Lagoa, mas acabaram indo mais para a frente e pararam as motos na pista. Assim que vimos, pedimos para eles tirarem as motos e eles tiraram, imediatamente. Foi só um momento, eles saíram assim que orientados”, afirmou Fernandes.

Para o promotor do Meio Ambiente, Antonio Carlos Garcia de Oliveira, o fato é lamentável, porque pode abrir precedente.

“A pista ser se uso exclusivo para pedestres. Ela foi feita para isso, o material não aguenta peso de veículos. Esse tipo de situação estraga a pista. Além disso, tem o fato da Lagoa Maior ser unidade de conservação ambiental. Há animais ali, pássaros, capivaras, jacarés. O barulho é perturbador para eles e as pessoas precisam respeitar”, afirmou Oliveira.

Para o promotor, o caso pode gerar penalidades administrativas, mas não configura crime. “Existe um bioma ali estabelecido. Não há nenhuma razão para as pessoas subirem com veículos na pista. Tem vários outros espaços onde podiam ter feito essa foto”, disse o promotor.

PISTA DA SAÚDE

A revitalização da orla da Lagoa, com a construção da pista de caminhada, foi concluída em 2015 e custou R$ 750 mil. A obra foi executada pela empresa Hidroplan e teve um cronograma de três meses para ser concluída. A Fibria pagou os custos da obra como um “presente” à cidade pelo aniversário de 100 anos de Três Lagoas.

Apesar de ter sido feita em material exclusivo para caminhada – tanto em peso quanto em tração – a pista vem sendo continuamente utilizada por pessoas de bicicleta, patins e até cavalos.

“O problema de você abrir uma exceção é que ela acaba virando a regra, e isso seria péssimo para o cartão postal da cidade”, afirmou o promotor Antonio Carlos.

Segundo o Secretário do Meio Ambiente, as motos foram rapidamente retiradas da pista. Foto: Arquivo Perfil News.

Comentários