16/02/2018 09h39

Risco

Analistas políticos ainda não creem muito na solidez da candidatura do MDB ao governo de Mato Grosso do Sul devido, segundo eles, a vários fatores. Acham que dificilmente o partido de André Puccinelli deixará de ser coadjuvante do PSDB de Reinaldo Azambuja durante a campanha deste ano. Indicam, entre outros motivos, a dificuldade do grupo político em enfrentar a máquina administrativa do governo e a divisão interna nos quadros da legenda, já que boa parte de suas lideranças trabalha em favor da aliança partidária.

Assédio

A cúpula regional do MDB, leia-se André Puccinelli, convidou o deputado estadual George Takimoto (PDT) para fazer parte dos quadros do partido. A ideia é que o representante de Dourados na Assembleia Legislativa já peça votos para o italiano na campanha deste ano para o governo do Estado. O japa é acusado pela direção brizolista de infidelidade, por não acatar a ordem de votar contra a reforma da Previdência.

Estica, encolhe

Ao mesmo tempo em que comemoram a previsão de aumento de 28% no repasse do FPM (Fundo de Participação dos Municípios) em fevereiro com relação a janeiro, os prefeitos sul-mato-grossenses devem amargar uma queda de 40% da transferência constitucional em março se comparado ao mês atual. Pelo menos são as previsões pessimistas da STN (Secretaria do Tesouro Nacional), vinculada ao Ministério da Fazenda. É o governo dando com uma mão e tirando com a outra.

Ponto final

O ministro Carlos Marun (Secretaria de Governo) avisa que o início da discussão sobre a reforma da Previdência está mantido para a próxima terça-feira (20) no plenário da Câmara. Depois de se reunir com o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), na residência oficial, Marun disse que sentiu confiança de que a matéria poderá ser pautada semana que vem, mesmo sem ter alcançado o mínimo de 308 votos para aprovação.

Socorro

O presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), inseriu na Ordem do Dia da próxima terça-feira (20), o Projeto de Lei do Congresso Nacional (PLN) 01/2018 que trata do repasse do AFM (Auxílio Financeiro aos Municípios) no valor de R$ 2 bilhões. A sessão está marcada para as 15 horas. Desse total, as prefeituras de Mato Grosso do Sul têm direito a pouco mais de R$ 29 milhões, segundo a Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul).

Comentários