17/10/2015 12h10 – Atualizado em 17/10/2015 12h10

A greve teve início no último dia 7 e não tem previsão para que os bancários regressem ao trabalho

Da redação

Bancários em diferentes cidades do país estão em greve por tempo indeterminado. Mesmo com a paralisação, as pessoas precisam pagar as contas nos dias marcados. Se não fizerem isso, pagam juros e multas, alerta o Procon de São Paulo.

Veja dúvidas e orientações:

CONTAS E SAQUES EM CAIXAS ELETRÔNICOS

As contas dentro do prazo podem ser pagas nos caixas eletrônicos, que funcionarão normalmente durante a greve, segundo a federação dos bancos. Também é possível pagar pela internet, por aplicativo no celular, Correios e lotéricas.

LOTÉRICAS, CORREIOS E SUPERMERCADOS

Outra opção para pagar contas e fazer outras operações é recorrer aos correspondentes bancários, como casas lotéricas, unidades dos Correios e alguns supermercados. As casas lotéricas, por exemplo, funcionam durante o horário comercial.

Nos correspondentes bancários, além de pagar contas, é possível fazer saques (até o limite de R$ 1.000 por dia), depositar (em dinheiro ou cheque, até o mesmo limite), fazer consultas de saldos e extratos, entre outras operações.

SALÁRIOS EM CHEQUES

Quem recebe salário por meio de cheque pode fazer o depósito no caixa eletrônico de seu banco. Segundo a Febraban (Federação Brasileira de Bancos) e o Sindicato dos Bancários de São Paulo, o cheque será compensado normalmente e o valor irá para a conta. Depois, o dinheiro pode ser sacado nos caixas eletrônicos.

A federação orienta que aposentados e pensionistas que não puderem contar com o atendimento prestado nas agências também façam os saques pelos caixas eletrônicos. A sugestão para aqueles que têm dificuldade de usar o terminal é que sejam acompanhados por pessoas conhecidas ou parentes.

CONTAS ATRASADAS

Boletos com atraso não podem ser pagos em caixas eletrônicos ou pela internet. É preciso procurar as empresas que emitiram as faturas para pedir novas vias, com a data atual. Assim, o pagamento pode ser feito por esses meios. Alguns bancos criam novos boletos, com datas atualizadas, já pela internet.

TRANSFERÊNCIAS

É possível fazer transferências nos caixas eletrônicos e nos sites dos bancos. Dependendo do valor, alguns bancos exigem um cadastro prévio com os dados da pessoa que vai receber o dinheiro. Mas esse cadastro, geralmente, pode ser feito por telefone.

INVESTIMENTOS

Quem tem investimentos pode acompanhar o saldo pelo caixa eletrônico, pelo site do banco e pelo aplicativo de celular. Resgates também podem ser feitos no caixa eletrônico. O home broker (sistema de compra e venda de ações online) permanece funcionando.

DESBLOQUEIO DE CARTÃO

O cliente que recebeu um cartão de débito ou crédito novo pode fazer o desbloqueio pelo telefone, pelos caixas eletrônicos, pela internet e nos correspondentes bancários (Correios, lotéricas e supermercados).
Também é possível bloquear os cartões, por qualquer motivo, por esses canais.

DOCUMENTE SEUS PEDIDOS

Segundo o Procon, em caso de problemas, o consumidor deve também procurar as empresas que emitiram os boletos para buscar outras opções de pagamento. O comparecimento à sede da empresa e o pagamento em lotéricas ou pela internet, por exemplo, podem estar entre as opções oferecidas.

O órgão diz que o consumidor deve documentar o pedido feito às empresas, enviando um e-mail ou anotando um número de protocolo de atendimento telefônico.

MULTAS POR ATRASO

O comprovante de que o consumidor esteve na empresa procurando formas alternativas de pagamento pode evitar que ele tenha de arcar com multas e outros encargos por atraso no pagamento, caso a empresa não atenda o seu pedido. Se pagar os encargos indevidamente, a recomendação é que ele procure o Procon.
Caso a empresa dê ao consumidor outra opção de pagamento e, mesmo assim, a fatura não seja quitada em dia, ele poderá ter de pagar multa e encargos.

LISTA DE OPÇÕES

A Febraban divulgou uma lista dos serviços mais comuns e como eles poderão ser realizados durante a greve.
Transferências, por exemplo, poderão ser feitas nos caixas eletrônicos, pela internet, por meio do aplicativo do banco para celular e pelo telefone.

Bancários recusaram proposta de reajuste

Os bancários reivindicam um reajuste de 16% nos salários, mas a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), ligada à Febraban, ofereceu 5,5%.

Os bancários recusaram a proposta e decretaram a greve. É o 13º ano seguido que a categoria promove paralisação nacional.

(*) Economia UOL

Em momento de greve, há pessoas que não sabem como proceder em relação aos serviços bancários. (Foto: Divulgação)

Comentários