“Quem advoga pela volta à vida normal podia assinar um termo de compromisso para, caso seja acometido por Covid, que abra mão de respiradores”, afirmou; estado tem 175 casos confirmados da doença

Com uma dura crítica contra quem pede a volta “à vida normal”, o Secretário de Saúde de Mato Grosso do Sul, dr. Geraldo Resende, “rogou” mais uma vez para que as pessoas mantenham o isolamento social sob o risco de ver os números crescer nos próximos dias.

O discurso foi feito durante coletiva de imprensa realizada hoje, online, pelo Governo do Estado (veja vídeo completo no final desta matéria).

“Nós estamos vendo a situação em alguns estados da Federação. Estou acompanhando com muita tensão o colapso completo da rede de saúde do Amazonas, estamos vendo o crescimento do número de casos em Pernambuco, Ceará, Espírito Santo, Rio de Janeiro e São Paulo”, disse Resende.

E aproveitou para fazer um apelo para as pessoas que advogam pela volta à “vida normal”, com a abertura do comércio. “Essas pessoas podiam assinar um termo de compromisso conosco que, caso sejam acometidas pela Covid, renunciem ao uso de ventiladores pulmonares, monitores e bombas de infusão”, disse. “Só assim sobrarão equipamentos para aqueles que estão cumprindo o isolamento social e seguindo as orientações da Organização Mundial de Saúde, do Ministério da Saúde e da Secretaria Estadual”, afirmou.

O Mato Grosso do Sul figura entre os dois estados brasileiros com as taxas mais baixas de isolamento social do país, junto com o Tocantins.

Preservar vidas

“Há um apelo de alguns setores da sociedade para que nós afrouxemos as medidas de isolamento social”, disse Resende. “Tomamos a decisão de continuar, tendo em vista que até o momento temos a situação do coronavírus sob controle relativo, e isso se dá pela contribuição da população nos primeiros dias, quando o isolamento chegou a 70%”.

Segundo ele, agora há uma corrida para o “liberou geral”. “Eu digo e repito: para nós e para o setor de saúde eu acho isso uma catástrofe. Em 15 a 30 dias podemos ter um número exagerado de casos e não temos como absorver esse contingente de pessoas. Para nós, mais importante que dinheiro é a vida das pessoas. Como médico eu fiz um juramento de preservar vidas”, afirmou o secretário.

No mesmo caminho, a Secretária Adjunta, dra. Christynne Maymone, alertou que os números que são anunciados hoje não refletem a realidade de agora. “Estamos colhendo o que plantamos há 15 dias”, afirmou Maymone. “Essa é uma colheita do isolamento que já foi feito. À medida que apresentamos queda nessa taxa de isolamento social as evidências científicas mostram que, daqui a 15 dias, teremos um número maior de casos confirmados”, disse.

Segundo a Secretária Adjunta, “o mundo inteiro estuda sobre isso e é importante que as pessoas acreditem e mantenham o isolamento social para que nós possamos estruturar adequadamente nossas unidades de saúde”.

Maymone ainda falou sobre a apresentação diária dos dados e afirmou que, como o mundo vive uma “emergência pública internacional”, os órgãos públicos têm obrigação de apresentar dados detalhados e de forma transparente, diariamente.

O Estado de Mato Grosso do Sul contabiliza 175 casos confirmados e 27 ainda em investigação.

? Live – Boletim Coronavírus em Mato Grosso do Sul 22/04

Gepostet von Governo de Mato Grosso do Sul am Mittwoch, 22. April 2020
Comentários