28/03/2018 07h14

O projeto visa incluir o assunto “educação ambiental” nas disciplinas escolares e contribuir com comunidades e órgãos de preservação

Redação

Aconteceu na manhã desta terça-feira (27), no anfiteatro do Centro de Referência em Assistência Social e Educacional (CRASE) “Coração de Mãe”, a consulta pública promovida pelo Instituto do Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (IMASUL) em Três Lagoas para a divulgação do Programa Estadual de Educação Ambiental (ProEEA/MS).

O evento está sendo realizado em sete cidades do Estado, com potenciais ecológicos conforme suas geografias. Conforme a palestrante Eliane Maria Garcia, Três Lagoas é bem valorizada devido a sua bacia hidrográfica e vasta vegetação nativa.

O secretário municipal de Meio Ambiente e Agronegócio, Celso Yamaguti, participou da consulta e destacou a importância desse projeto para o Município. “Nós já fazemos um trabalho de conscientização e, com a chegada deste programa, poderemos agregar às futuras gerações a preservação e responsabilidade ambiental. Como se eu plantasse uma semente e o cuidado fosse de interesse geral”, explicou Celso.

Após as palestras, foram formados grupos para distribuir os temas e competências conforme a metodologia do projeto.

SOBRE O PROEEA/MS

O programa tem a missão de contribuir para a melhoria de qualidade de vida, equidade social, valorização da diversidade local e conservação ambiental. A proposta de gestão e planejamento está em formar educadores, inclusão do projeto educação ambiental nas escolas, empresa e sociedade, monitorar e avaliar resultados, entre outros.

A palestrante Auristela Silva dos Santos destacou a metodologia de trabalho a ser implantada pelo ProEEA/MS, ressaltando a preocupação com comunidades existentes em locais ambientais. “Este programa tende a resolver impasses entre instituições de preservação e comunidade. Por exemplo, se algum órgão quiser modificar a região onde vivem ribeirinhos sem conhecer a sua realidade, o programa servirá de elo entre eles, inclusive, para orientar e dialogar em busca da melhor alternativa”, disse Auristela.

Participaram também do encontro, a biológa Rita de Cássia, o técnico ambiental Manoel Pimenta (ambos da SEMEA), promotor do meio ambiente Antônio Carlos Garcia de Oliveira, Polícia Militar Ambiental e representantes de empresas de Três Lagoas.

(*) Diretoria de Comunicação Social

(Foto: Assessoria)

(Foto: Assessoria)

Comentários