09/12/2014 14h29 – Atualizado em 09/12/2014 14h29

Paralisação ocorrerá caso a Câmara dos Deputados não aprove os projetos de lei que tratam do aumento salarial

Da redação

Servidores do judiciário federal e Ministério Público da União – MPU, de Mato Grosso do Sul, entram em greve a partir de segunda-feira (15), por tempo indeterminado, caso a Câmara dos Deputados não aprove nesta quarta-feira (10) as PLs 7919/14 e 7920/14, que tratam do aumento salarial da categoria e outros benefícios. A decisão foi tomada na semana passada em assembleia geral pelo Sindjufe/MS (Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário Federal e Ministério Público da União em Mato Grosso do Sul).

Os servidores estão revoltados com os parlamentares que votaram e aprovaram aumento salarial somente para os juízes e procuradores, deixando de lado os demais servidores do judiciário federal e MPU, explica José Aílton Pinto de Mesquita Filho, coordenador jurídico do Sindijufe/MS.

O sindicalista informou que a Comissão de Finanças e Tributação – CFT, da Câmara Federal deveria ter apreciado a matéria na quarta-feira passada, mas devido ao tumulto provocado no Congresso Nacional, que foi até madrugada em discussão com uma matéria de interesse do Planalto, acabou ficando para esta quarta-feira, dia 10.

Servidores do judiciário e MPU de vários Estados brasileiros seguirão novamente a Brasília, nesse dia (10) para fazer lobby junto aos parlamentares para aprovar as PLs 7919/14 e 7920/14 que tratam do aumento salarial da categoria.

Se a matéria não entrar em pauta ou não for aprovada, os servidores do judiciário federal e MPU em Mato Grosso do Sul já decidiram: entram em greve por tempo indeterminado a partir de segunda-feira, dia 15 de dezembro.

(*) Assessoria de comunicação

Servidores pretendem entrar em greve por tempo indeterminado (foto: Divulgação)

Comentários