Em nota enviada ao Perfil News empresa afirma que oferece condições seguras de trabalho aos funcionários; leia manifestação abaixo

Após a publicação de reportagem no Perfil News em que trabalhadores acusam a Construtora Sial de oferecer “água fedendo a peixe” para eles lavarem as mãos, a diretoria da Sial entrou em contato com o site.

A empresa alega que cumpre as normas sanitárias e que a confusão teria sido causada pelo sindicato, que chamou a Vigilância Sanitária.

Acompanhe abaixo a íntegra da nota encaminhada pela empresa:

“Em relação a matéria publicada no dia 24/03, em que os funcionários cruzam os braços sob a alegação de falta de condições de trabalho, gostaríamos de responder que tal alegação não procede tendo em vista a SIAL ter cumprido com todas as exigências do Ministério Público do Trabalho e da Vigilância Sanitária em tempos de Corona Virus.

Os trabalhadores estavam trabalhando normalmente quando um funcionário do Sindicato dos trabalhadores da Construção Civil chegou na obra e convenceu os trabalhadores a paralisarem os serviços, de forma verbal, sem nenhum documento ou determinação oficial, e apenas nos comunicou que após o almoço voltaria com um documento determinando a paralisação.

Após o almoço o representante do sindicato não nos apresentou documento algum, apenas solicitou a presença da Vigilância Sanitária na obra. O representante da vigilância Sanitária, percorreu toda a obra e não identificou nenhuma irregularidade, tanto que não paralisou os serviços. Apenas nos deixou uma recomendação em tempos de Corona Virus, segue em anexo.

O representante do Sindicato alega que usamos água do rio para higienização dos funcionários, isso foi demonstrado ao representante da Vigilância Sanitária que não procede, temos uma Caixa D’agua, e também existe rede publica de água, o que pode ser comprovada através de fotos e da conta de água (em anexo). Essa água de rio é utilizada apenas para descargas de vaso, o que foi comprovado pela Vigilância Sanitária.

Além disso, a empresa antecipadamente já tinha adotado medidas de precaução contra o Corona Virus, são elas;

  1. Disponibilização de sabonete liquido para higienização.
  2. Disponibilização de termômetros para medição duas vezes ao dia da temperatura dos funcionários, e assim liberar aqueles com anormalidades.
  3. Dispensa dos funcionários com mais de 60 anos ou com doenças crônicas
  4. Evitar aglomerações no canteiro, justamente o contrário do que o representante do sindicato estimulou.
  5. Não permitimos mais o transporte até a obra através de transporte público coletivo.
  6. Divisão em turnos para almoço, com isso diminui o número de funcionários no refeitório e vestiário.

O álcool gel está em falta no Estado do MS, mas já providenciamos e hoje a obra também possui Alcool em Gel para higienização dos colaboradores.

Assim, resta comprovado que estamos propiciando todas as condições de trabalho para os funcionários, condições estas ratificadas pela Vigilância Sanitária. A paralisação de hoje só ocorreu por orientação de Sindicato que procura através destas ações criar provas para reclamatórias trabalhistas inverídicas.

Atitude como esta do Sindicato, além de nos prejudicar também prejudica a população de Três Lagoas, pois o Hospital esta em fase final de Construção e estas ações apenas retardam a conclusão e o consequente inicio do uso por parte da população, ainda mais em tempos de Corona Virus.”

Comentários