25/04/2014 17h54 – Atualizado em 25/04/2014 17h54

Após a publicação no Diário Oficial, o Sindicato tem oito dias para entrar com o recurso

Larissa Lima

O Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Civil e Imobiliário de Três Lagoas e Região (Sintricom) teve, na última quarta feira (23), a diretoria declarada inelegível por meio da decisão proferida pelo juiz do trabalho do município, Marcelo Baruffi.

Dessa forma, os membros da diretoria vigente do Sindicado ficam proibidos de atuar como representantes sindicais por oito anos. Ficou determinado ainda, que a administração provisória do Sintricom fique sob a responsabilidade da Federação dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário do Mato Grosso do Sul (Fetricom) até a eleição de uma nova diretoria.

A decisão judicial, no entanto, ainda não foi publicada no Diário Oficial, prevista para a segunda-feira (28), conforme informou o Sintricom. A partir de então, o Sindicato terá oito dias para recorrer da decisão.

O advogado do Sintricom, Rodrigo Narcizo dos Santos, informou que não pode dar mais detalhes do caso por conta da decisão ainda não ter sido publicada e que o representante deste caso é o advogado Thiago Moraes Marsiglia. Mesmo não sendo o responsável pelo processo, Narcizo afirmou que o Sintricom vai recorre da decisão.

ENTENDA O CASO

Em maio de 2013, foi realizada a eleição para a diretoria do Sintricom, na qual venceu a Chapa 2, que posteriormente foi acusada de cometer, durante o período de eleição, diversas irregularidades administrativas.

A ação foi movida na Justiça do Trabalho por Moacir Manoel Vieira e Paulo Roberto de Paula, integrantes da Chapa 1, que também concorriam na eleição.

Com a ação da Chapa 1 e demais denúncias de irregularidades apresentas ao Ministério Público do Trabalho contra o Sintricom, foi aberto inquérito para apuração do caso.

Prazo para o Sintricom recorrer da decisão é de oito dias, a contar da data de publicação no Diário Oficial (Foto: Larissa Lima)

Comentários