28/11/2018 09h42

Redação

O superintendente regional da Polícia Federal, Luciano Flores, é um dos cotados para assumir o mesmo cargo na PF do Paraná. Caso a transferência se confirme, ele dará continuidade em importantes investigações, como a Lava Jato, na qual já trabalhou durante a 24ª fase da operação

Segundo o próprio Luciano, a decisão depende de um posicionamento do diretor-geral da Polícia Federal ou de Sérgio Moro, novo Ministro de Justiça. Nos bastidores, a informação é de mudança certa, que ainda não foi confirmada por falta de um nome para assumir a superintendência em Mato Grosso do Sul.

A passagem dele por aqui foi uma das mais breves da história. Luciano Flores assumiu em fevereiro e pegou em andamento a Operação Lama Asfáltica, que ontem entrou na 6ª fase, com 3 prisões de envolvidos em corrupção durante o governo André Puccinelli, pagamento de propina e esquema de lavagem de dinheiro no Paraguai.

Natural de Santa Maria (Rio Grande do Sul), Luciano Flores tem 39 anos. Ele é formado em Direito, com especializações em Segurança Pública e Direito Penal e Processual Penal; e mestrado em Gestão Pública.

Ao assumir o rojão do policiamento federal em uma região de fronteira, Luciano fez críticas ao orçamento reduzido, lembrando que a verba por aqui é 20% menor do que o da delegacia de Foz do Iguaçu, tem a metade do orçamento da Polícia Federal de Minas Gerais e um terço do orçamento da PF no Paraná.

(*) Campo Grande News

Comentários