14/04/2016 11h36 – Atualizado em 14/04/2016 11h36

No estado do Mato Grosso do Sul foram confirmados seis casos, sendo que os outros cinco foram registrados na Capital

Daniela Silis

O município de Três Lagoas teve o primeiro caso confirmado da febre chikungunya no ano de 2016. Os dados foram informados pela Secretaria de Estado de Saúde em um boletim epidemiológico divulgado ontem (13). No estado de Mato Grosso do Sul já foram confirmados seis casos. Os outros cinco foram na cidade de Campo Grande.

Segundo as informações divulgadas, tiveram dois casos notificados como suspeitos em três-lagoenses, porém apenas um foi confirmado. Em 2015, foram três suspeitos e um confirmado. Só no estado, 280 casos foram notificados em 2016, 85 notificações a mais que no ano de 2015, que foram 195 casos suspeitos e nove confirmados.

SINTOMAS

Segundo o boletim, os principais sintomas da doença são febre de início súbito, maior que 38,5ºC, e dor intensa nas articulações de início agudo, acompanhado ou não de edemas (inchaços), não explicados por outras condições. Assim que os sintomas forem percebidos, é importante que procurem uma unidade de saúde para que sejam tomadas as providências.

Ainda é alertado que as dores articulares, em alguns casos, podem permanecer por meses e até anos. O mosquito também pode transmitir os vírus da dengue e da chikungunya ao mesmo tempo, pois ele pode carregar os dois vírus em seu organismo.

RECOMENDAÇÕES

Ainda é recomendado que o indivíduo com a suspeita da doença se mantenha em repouso e tome muito líquido para se manter hidratado, além de evitar a exposição de mosquitos, para que o vírus não seja transmitido.

Gestantes, menores de dois anos, maiores de 65 e pessoas com comorbidade devem ficar alertas aos sintomas, pois estão no grupo de risco.

PREVENÇÃO

O principal meio de prevenção é impedir que o mosquito se reproduza, e isso pode ser feito evitando que objetos que possam acumular água fiquem expostos às chuvas, como pneus, latas, garrafas, baldes, lixos, entre outros. Também é recomendado que tampe os tonéis e depósitos de água e troque diariamente a água dos bebedouros dos animais e de plantas. Todo cuidado é pouco para evitar que o mosquito que, além de transmitir a chikungunya, também transmite o vírus da dengue e da Zika, se reproduza.

A melhor forme de prevenir a doença é evitar que o mosquito Aedes Aegypti nasça (Foto: Divulgação)

Comentários