04/05/2015 17h25 – Atualizado em 04/05/2015 17h25

Por muito pouco, o vice-presidente da Acrissul e ex-deputado estadual constituinte, Jonatan Barbosa, não foi ver o sol nascer quadrado durante a Expogrande. Uma discussão entre ele e um policial militar de alta patente descambou para aquela famosa pergunta: o senhor sabe com quem está falando? E a resposta veio por meio de uma ação rápida da autoridade.

Tanto sei que estou prendendo o senhor por desacato. O caso foi parar na delegacia, mas nada que uma fiançazinha não desse jeito.

ABSURDO

Uma ação popular impetrada na Justiça pelo advogado Daniel Ribas da Cunha, tem o objetivo de suspender uma verba extra paga aos vereadores da Capital de R$ 2,9 milhões. O Legislativo, segundo a denúncia, paga mensalmente R$ 243 mil aos 29 parlamentares a título de ajuda de custo.

Um dos argumentos do advogado é que todas essas despesas referem-se a atividades particulares, o que deveria ser bancada por eles como o próprio salário. Essa é mais uma fatura paga pelo povo.

CONSTATAÇÃO

Quem deveria ser modelo de transparência em Mato Grosso do Sul passa longe dessa exigência da Lei. Penúltimo colocado em ranking nacional feito pelo CNMP – só ganha do Acre – o Ministério Público Estadual lidera em quesitos não atendidos, além de ser menos transparente quando analisado sua execução orçamentária e financeira.

A pesquisa fez referências a várias outras questões não observadas pelo órgão. Diante dos fatos, resta ao MPE mudar essa realidade para ser um bom cobrador.

ROUPA NOVA

A proposta de reforma política, além de ser aguardada com muita expectativa, está amarrando muita gente com interesse nos próximos pleitos, sobretudo, que pensa em novos ares, ou seja, trocar de partido.

É o caso do deputado estadual Marquinhos Trad, que sonha em disputar a prefeitura de Campo Grande por outro partido que não seja o PMDB, do qual é dissidente.

VIA-SACRA

Os prefeitos se preparam para mais uma mobilização visando pressionar o Congresso e o Palácio do Planalto em torno de novas conquistas. A Assomasul deseja levar o maior número deles para a “XVIII Marcha à Brasília em Defesa dos Municípios”, que ocorrerá de 25 a 28 deste mês.

Entre as principais reivindicações destaca-se a aprovação do chamado ‘pacto federativo’, incluindo um novo modelo de distribuição de verbas entre as três esferas de governo.

Comentários