14/05/2013 16h47 – Atualizado em 14/05/2013 16h47

UFGD lança 4 novas engenharias, 2 licenciaturas e amplia 30 vagas para Medicina

Da Redação

Um processo de expansão com os pés no chão, primando pela qualidade dentro das condições da Universidade. Assim foi definido pela Pró-Reitora de Ensino de Graduação da UFGD, professora doutora Giselle Cristina Martins Real, o Plano de Expansão Acadêmica da UFGD, apresentado em 2011 ao Ministério da Educação (MEC) e que teve na manhã de hoje (06/05) a colheita de seus primeiros frutos com o lançamento de seis novos cursos de graduação e a ampliação do número de vagas ofertadas pelo curso de Medicina.

Com o cineauditório da Unidade 1 lotado pela comunidade acadêmica e autoridades das cenas política e social da região, foram apresentados pela pró-reitora dados específicos sobre cada curso nesta que vem a ser a terceira fase de expansão da UFGD: de 28 cursos presenciais em 2012, a instituição terá 33 em 2014, além de aumentar de três para quatro os cursos a distância no próximo ano.

O Plano de Expansão Acadêmica da UFGD está dentro dos objetivos propostos pelo Projeto de Lei 8038/2012, que visa alterar o Plano Nacional de Educação (PNE), sendo centrais as metas 12 e 15, que pretendem, respectivamente, elevar a taxa bruta de matrículas na educação superior para 50% e a taxa líquida para 33% da população de 18 a 24 anos, assegurando a qualidade na oferta, e garantir, em regime de colaboração entre a União, os estados e os municípios, que todos os professores da educação básica possuam formação superior, obtida em curso de licenciatura na área de conhecimento em que atuam.

Foram lançados hoje quatros novos cursos de engenharia – Civil, Mecânica, de Aquicultura e de Computação – , Licenciatura em Letras com habilitação em Língua Brasileira de Sinais (Libras) e Licenciatura em Ciências da Natureza, dentro do Programa Nacional de Educação do Campo (Pronacampo), iniciativa do Governo Federal que visa atender à população do campo. Também foi anunciada a ampliação do número de vagas para o curso de Medicina, que passa de 50 para 80, já no ano que vem.

As duas licenciaturas já terão processos seletivos no segundo semestre de 2013, seguidos pelo início imediato das aulas. Já as engenharias passarão a ser ofertadas no vestibular de 2014. Serão mais de 1,5 mil alunos nas graduações da UFGD.

Para o reitor da universidade, professor doutor Damião Duque de Farias, o Plano de Expansão Acadêmica 2011-2020 é bastante ambicioso, pois vai triplicar o que se tem hoje na UFGD. O caminho, no entanto, está sendo percorrido passo a passo, com os pés no chão, como citado inicialmente pela pró-reitora de Graduação. “Foram várias conversas no MEC, onde o Plano de Expansão foi apresentado e avaliado. Neste movimento tivemos a autorização para promover a ampliação do número de vagas do curso de Medicina e criar as novas graduações. Isso representa bem o que se espera da universidade pública brasileira”, comemorou.

Vislumbrando um futuro além da criação de cursos e vagas, o professor sinalizou para a contratação de docentes e técnicos administrativos e construção de novos prédios, com investimentos da ordem de R$ 30 milhões. “Será de impacto na cidade e na região, mas o mais importante é a ampliação das oportunidades que estamos disponibilizando aqui para a formação de nossos jovens”, concluiu.

(*) Com informações de Assecom UFGD

O Plano de Expansão Acadêmica da UFGD está dentro dos objetivos propostos pelo Projeto de Lei 8038/2012 (Foto: Arquivo)

Comentários