26.5 C
Três Lagoas
quinta-feira, 18 de agosto, 2022
InícioColunistasCaldeirão do BolsãoVEREADORES VOTAM NA ÍNTEGRA

VEREADORES VOTAM NA ÍNTEGRA

05/01/2011 18h38 – Atualizado em 05/01/2011 18h38

NA ÍNTEGRA

Acabou não dando em nada, a celeuma criada sobre o orçamento de Três Lagoas

Caldeirão do Bolsão – Ricardo Ojeda

NA ÍNTEGRA

Acabou não dando em nada, a celeuma criada sobre o orçamento de Três Lagoas. Os cinco vereadores: Fernando Milan (PMDB), Jorge Martinho (PMDB), Celso Yamaguti (DEM), Angelo Guerreiro (PDT) e Idevaldo Claudino (PT), bem que tentaram; chiaram, espernearam, mas acabaram votando o projeto da íntegra.

DESGASTE POLÍTICO

O que eles conseguiram mesmo foi desgaste político junto à comunidade local. Para se ter uma idéia, até o pecuarista Claudio Totó, avesso a qualquer tipo de movimentação política entrou na discussão, redigindo um pesado e contundente artigo, intitulado, “A história se repete”.

LIDERANÇAS PRESENTES

Cláudio Totó compareceu à sessão, e só deixou o plenário depois que os vereadores aprovaram na íntegra o orçamento. Além dele, estiveram presentes várias lideranças, das quais, o presidente do Sindicato Rural, Domingos Martins.

TRACK

Falando em bom português, pelo barulho que causaram, todos na platéia imaginavam que os vereadores oposicionistas, conhecidos por G-5, iriam dar um tiro de canhão. Mas não foi. O ruído foi tão fraco, que pareceu de uma bombinha track, aquela que todos nós brincávamos quando criança.

MEA CULPA

Para não ficar a deriva, a base oposicionista não tiveram outra saída a não ser votar o orçamento na íntegra. Tentando uma justificativa, o porta-voz do G-5, Jorge Martinho (PMDB) tentou uma mea culpa, e foi à tribuna para dizer que o grupo tem responsabilidade e compromisso com o desenvolvimento do município. Que tempo loco…

FATURA POLÍTICA

Quem saiu faturando com tudo isso, foram os vereadores que dão sustentação à prefeita Márcia Moura. Jorginho do Gás deu seu recado, Vera Helena foi ainda mais contundente. Nuna Viana ao seu estilo, com aquele vozeirão de locutor de rodeio, mandou bem também, Marisa Rocha chamou O G-5 à responsabilidade, enquanto o Tonhão deu uma aula, ao explicar como funciona o Regimento Interno. Foi aplaudido várias vezes.

FAZENDO HISTÓRIA

Mas, ao menos um fato inédito o grupo oposicionista conseguiram. Nunca na história de Três Lagoas, o município virou o ano sem orçamento. É fato inédito que entra para os anais da história.

GORDURA

Assembleia Legislativa do Estado devolveu R$ 10 milhões ao Executivo referente à sobra do orçamento da casa do exercício de 2010. Além disso, o presidente da Casa, deputado Jerson Domingos, anunciou que vinha recebendo R$ 50 milhões em excesso do orçamento.

RATEIO

Em iniciativa inédita, esse ano essa grana será dividida para o Tribunal de Justiça e o Ministério Público Federal. Oras, é muito estranho! O que foi feita com as sobras dos anos anteriores? É muito dinheiro! Precisa ser explicado onde foi parar essa verba excedente.

DISTRIBUIÇÃO

A origem disso tudo começou quando o primeiro-secretário da Assembléia Legislativa, deputado Ary Rigo, revelou como seria a distribuição da sobra do orçamento entre os três poderes do Estado.

FLAGRANTE

Sem saber que estava sendo filmado, ele contou na íntegra como a Assembleia repassava o dinheiro excedente aos demais poderes.

MUITA GRANA

Na época, as imagens foram parar no youtube, e depois propagou na mídia nacional. Isso custou à reeleição do deputado. Depois disso, estranhamente, o presidente da Assembleia, deputado Jerson Domingos, admitiu que o orçamento tinha R$ 50 milhões a mais do que a Casa precisava.

SEM ENTENDER

O que não dá para entender é a devolução de R$ 10 milhões ao Executivo Estadual. Essa história está muito mal explicada e o Ministério Público deveria cobrar um esclarecimento bem detalhado.

DOBRADINHA

O deputado estadual Eduardo Rocha (PMDB) afirmou em entrevista à TV Perfil que tudo pode acontecer em 2014. Até uma dobradinha com o PT não está descartada. Só não abre mão da reeleição da prefeita Márcia Moura.

ALIANÇA

Segundo ele, só se a Márcia não quiser ser candidata entra outro nome no jogo. Rocha afirmou ainda que não vê como impossível a aliança com o PT. Para reforçar, disse que a parceria com o senador Delcídio Amaral e o deputado Biffi é ótima. “Eles estão trazendo emenda para o município”.

SEM IMPEDIMENTO

O presidente regional do PT, Marcus Garcia Gomes caminha no mesmo sentido. Em entrevista ao titular do Caldeirão, ele falou que não existe impedimento para uma dobradinha. Mas para isso, tenho que ouvir a corrente do partido de Três Lagoas. “Sem conversar com eles não posso afirmar categoricamente”, disse.

ATITUDE RADICAL

Garcia falou também sobre a composição política em Dourados. O PT indicou à vice do candidato Democrata, Murilo Zauith. Mas tem uma corrente radical, liderada pelo vereador Elias Ishy, que contrária a aliança registrou a candidatura a prefeito.

AVENTURA JURÍDICA

Na opinião do presidente regional, Ishy está na contramão da história. “Ele tomou um ato isolado, sem amparo legal, desrespeitando os demais companheiros. Ao registrar a candidatura, ele estará fazendo uma aventura jurídica”, disse.

Comentários
MATÉRIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

error: Este Conteúdo é protegido! O Perfil News reserva-se ao direito de proteger o seu conteúdo contra cópia e plágio.