18/11/2006 17h22 – Atualizado em 18/11/2006 17h22

G1

Manifestantes antiglobalização e a polícia protagonizaram neste sábado (18) violentos enfrentamentos nas ruas de Melbourne, onde horas antes havia começado a reunião dos ministros de Economia das 20 principais potências mundiais, o G20.

Alguns manifestantes tentaram atravessar o cordão de segurança estabelecido pela polícia, que respondeu com força.

Vários membros da polícia ficaram feridos. Um jornalista da televisão australiana foi agredido e teve sua câmera atirada ao solo. Um policial foi hospitalizado com uma fratura no pulso.

Houve apenas duas detenções. No total, cerca de 1.800 manifestantes antiglobalização foram neste sábado às ruas de Melbourne durante a reunião anual do G20 Finanças.

Os organizadores da marcha de protesto, sob o lema “Stop G20”, haviam anunciado 10 mil manifestantes.

O centro de Melbourne, a segunda cidade da Austrália, se encontrava praticamente paralizado por causa das barreiras policiais situadas em várias artérias que levam ao hotel de luxo Gran Hyatt, onde a cúpula está sendo celebrada.

Violência “escandalosa”A chefe de polícia do estado de Victoria, Christine Nixon, chamou o surto de violência de “escandaloso”. “Atiraram projéteis, pedras e muito mais contra a polícia”, disse ela à imprensa.

O secretário australiano do Tesouro, Peter Costello, condenou a violência e assegurou que ela danifica a reputação da Austrália.

“É gente que quer destroçar as ruas de Melbourne e danificar a reputação da Austrália”, acrescentou Costello, que horas antes havia inaugurado oficialmente o encontro.

Na noite de sexta-feira (17), os manifestantes “antiglobalização” receberam o apoio do cantor irlandês Bono Vox, do grupo U2, conhecido por defender as causas dos países pobres, durante um concerto gratuito que reuniu 14 mil pessoas sob o lema “Converter a pobreza em coisa do passado”.

“Os políticos têm de fazer o que vocês digam que façam”, disse o músico à multidão.

O G20, chamado de “Finanças” para distingui-lo do clube de mesmo nome que reúne os países emergentes sobre questões comerciais, agrupa os estados ricos do G7 (Estados Unidos, Grã-Bretanha, Canadá, França, Alemanha, Itália e Japão, a União Européia, Austrália, China, Índia, Brasil, Argentina, México, Rússia, Indonésia, Arábia Saudita, África do Sul, Coréia do Sul e Turquia.

O Fundo Monetário Internacional e o Banco Mundial também estão representados.

Comentários