23.4 C
Três Lagoas
quinta-feira, 13 de junho de 2024

Polícia Civil prende dois por ocultação de cadáver e elucida homicídio ocorrido em Sidrolândia

A vítima estava desaparecida há seis meses 

Uma ação da Polícia Civil do Estado do Mato Grosso do Sul resultou nas prisões em flagrante de duas pessoas envolvidas em um homicídio e ocultação de cadáver, que vitimou um homem de 42 anos. Os dois homens de 19 anos de idade confessaram participação no crime.

Vídeo: PCMS

As prisões ocorreram na tarde de ontem (22), após uma testemunha ter encontrado o corpo no quintal do terreno onde a vítima morava. A testemunha foi ao quintal dessa residência colher mandiocas e durante a colheita, após cavar a terra, avistou um “objeto estranho” enterrado e se assustou.

Sabendo que a Polícia Civil estava no caso e à procura do paradeiro da vítima, Magno Monteiro, há alguns meses, já tendo, inclusive, feito buscas no local, juntamente com o Corpo de Bombeiros e cães farejadores, imediatamente, fez contato com a delegada de polícia de Sidrolândia, Cynthia Gomes, que foi ao local, constatou que se tratava de provável ossada humana e fez o acionamento da perícia científica.

Em seguida, os policiais civis, com apoio de policiais militares, agiram rápido, se deslocando até o local de trabalho do suspeito e efetuando a prisão dele em flagrante por ocultação de cadáver. Na delegacia, o autor confessou o crime e apontou os outros dois envolvidos no homicídio, dando detalhes da empreitada criminosa, narrando a crueldade da ação. “Ele disse que executaram a vítima com marteladas no crânio, além de facadas no abdômen e que o enterraram ainda com vida, aos gritos, no quintal da casa em que residia”, contou a delegada.

Com o nome do segundo envolvido no crime, o GOI (Grupo de Operações e Investigações) foi acionado e, junto com os policias da Delegacia de Sidrolândia, fizeram o levantamento do endereço do outro autor, efetuando a prisão na residência dele. Na delegacia, esse segundo envolvido também confirmou a participação no crime, dando sua versão sobre a dinâmica da execução.

Vídeo: PCMS

O caso teve uma reviravolta há cerca de dois meses quando uma mulher, também investigada de participação nesse homicídio, foi até a Delegacia de Polícia registrar uma ocorrência de violência doméstica e no registro informou que o autor, seu namorado, disse que faria com ela o mesmo que fez com a vítima, ou seja, que a mataria e enterraria o corpo no quintal da casa. A partir daí a Polícia Civil, que até então tinha como linha investigativa para o desaparecimento da vítima eventual dívida de drogas, já que ele era usuário, corrigiu rotas e passou a ter como principal suspeito o verdadeiro autor. “Ele chegou a prestar depoimento na delegacia sobre os fatos na época mas negou a autoria e naquele momento não realizamos sua prisão pois não tínhamos elementos concretos para mantê-la”, alegou a delegada Cynthia Gomes.

Com a descoberta da ossada, de fato enterrada no amplo quintal da casa, a polícia realizou a prisão em flagrante do autor que mudou seu primeiro depoimento prestado na delegacia, no qual alegou não ter participação no homicídio, e dessa vez confessou o crime, descrevendo detalhadamente a ação e entregando os outros dois coautores. Dois dos três autores foram presos, estando o terceiro foragido.

Além dos coautores também foram ouvidas duas testemunhas e uma mulher, investigada por ter participado do homicídio prestando auxílio material. Os autores serão indiciados pelos crimes de homicídio qualificado (por motivo fútil, com emprego de meio cruel e por recursos que impediram a defesa da vítima) e por ocultação de cadáver.

Keila Flores, Assericom PCMS

Leia também

Últimas

error: Este Conteúdo é protegido! O Perfil News reserva-se ao direito de proteger o seu conteúdo contra cópia e plágio.