15.9 C
Três Lagoas
domingo, 21 de julho de 2024

Em MS, homem preso com “mel fake” tinha lucro de 567%; ele usava açúcar, água, saborizante e ácido cítrico

Um homem foi preso nesta última segunda-feira (8) com mel falsificado por equipes da Decon (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Contra as Relações de Consumo) e da Iagro (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal) no posto da PRF (Polícia Rodoviária Federal) em Anhanduí.

Segundo o site Midiamax, ele confessou que fabricava o produto há 20 anos, utilizando açúcar, água, saborizante e ácido cítrico, vendendo cada litro por R$ 20, enquanto o custo de produção era em torno de R$ 3,00, resultando em um lucro de cerca de 567%.

O homem foi preso com 106 produtos que seriam entregues em uma transportadora com destino a Rondonópolis. Em 2022, os produtos vendidos por ele foram apreendidos em Dourados e outras cidades de Mato Grosso do Sul pelo Procon e Iagro. Um relatório técnico constatou que os produtos eram “fraudados intencionalmente por adulteração e impróprios para o consumo humano”.

Sobre a prisão

O homem, de 56 anos, estava a caminho de Campo Grande com 106 produtos que seriam enviados a Rondonópolis. Ele fazia entregas para 500 comerciantes de Mato Grosso do Sul. O carro, uma Pampa, cujo motorista era o genro do acusado, foi apreendido junto com rótulos, tampas e garrafas.

O trabalho investigativo da polícia e da perícia constatou que o produto continha de tudo, menos mel. Os ingredientes incluíam glucose, produtos químicos, inclusive cancerígenos, desinfetante e essência de mel, conforme indicado no laudo.

A polícia encontrou o produto em Maracaju, Bandeirantes, Dourados e Aral Moreira. Em Campo Grande, foi encontrado em um estabelecimento próximo à rotatória da Avenida Tamandaré.

Leia também

Últimas

error: Este Conteúdo é protegido! O Perfil News reserva-se ao direito de proteger o seu conteúdo contra cópia e plágio.