Após o choque de se ver sob risco de lockdown devido ao elevado número de casos confirmados em curto espaço de tempo, cidade celebra não ter registrado nenhum novo caso nos últimos seis dias

A pequena cidade de Brasilândia, com pouco mais de 12 mil habitantes, reagiu e, após registrar 15 casos positivos de Covid e duas mortes em decorrência da doença, a situação se estabilizou – por enquanto.

Há seis dias a cidade não registra casos novos da doença. Além disso, de acordo com boletim epidemiológico divulgado hoje, dos 15 pacientes positivos, sete já cumpriram quarentena e receberam alta médica, podendo ser considerados recuperados.

Ainda no decorrer dessa semana outras pessoas devem terminar o período de quarentena e, caso permaneçam sem sintomas, também serão consideradas recuperadas.

Susto

Com o elevado número de casos registrados depois de uma reunião familiar realizada no dia 1 de maio a administração municipal precisou tomar medidas drásticas para manter o isolamento social.

O prefeito de Brasilândia, dr. Antonio Thiago, chegou a cogitar a implantação do fechamento total da cidade – o temido lockdown – até com o apoio do Exército, se houvesse resistência da população.

Em entrevista com o jornalista Ricardo Ojeda, o prefeito Antonio de Pádua Thiago afirmou que a implantação do lockdown estava sendo planejado, caso a cidade não desacelerasse os casos de contaminação por Covid.

Mas, pelo menos por enquanto, as medidas de isolamento têm funcionado e, neste momento, o lockdown não está cogitado.

“Mas não podemos descuidar”, afirmou dr. Antonio Thiago. “As medidas surtiram efeito e estamos indo bem, mas precisamos manter as medidas de isolamento. O vírus é traiçoeiro e, se descuidarmos, ele voltará a nos assombrar”, disse.

Pouco movimento era visto em Brasilândia com o avanço dos casos de Covid na cidade. Fotos: Ricardo Ojeda

Medidas duras

Enquanto lutava para manter os números de contaminados sob controle, Brasilândia se viu às voltas com a desobediência de algumas pessoas, comprovadamente positivas para o vírus.

Em uma decisão da Justiça local, obedecendo pedido do Ministério Público, duas pessoas que desobedeciam deliberadamente a quarentena foram obrigadas a permanecer em casa até o final da quarentena, sob pena de multa de R$ 10 mil cada, em caso de desobediência.

No comércio da área central pessoas obedeceram distanciamento e uso de máscaras
Comentários