17.3 C
Três Lagoas
sábado, 25 de junho, 2022
InícioIndústria & ComércioCeluloseEldorado Brasil lança Relatório de Sustentabilidade 2021 e demonstra avanço da pauta...

Eldorado Brasil lança Relatório de Sustentabilidade 2021 e demonstra avanço da pauta ESG

Companhia controla 116 mil hectares de áreas de conservação ambiental, equivalente a 30% do total de suas áreas de atuação. Atualmente, 96% da energia consumida na operação de sua fábrica de celulose provêm de fontes renováveis

A Eldorado Brasil Celulose acaba de divulgar seu Relatório de Sustentabilidade 2021, que reúne todas as informações da companhia nas áreas ambiental, social e de governança, além dos resultados e principais destaques do ano. E os resultados revelam a diferença que os muitos investimentos da companhia têm feito no Mato Grosso do Sul, principalmente na região onde estão concentradas suas operações.

“Temos no nosso DNA o mais absoluto compromisso com as melhores práticas, sob uma perspectiva ESG (ambiental, social e governança, na sigla em inglês), como podemos demonstrar, com máxima transparência, nesse relatório. É uma satisfação mostrar aos nossos colaboradores, fornecedores, clientes e ao conjunto da sociedade como implementamos, na prática, esses valores, que estão completamente alinhados aos Objetivos de Desenvolvimento das Nações Unidas, de que somos signatários”, explica Carmine De Siervi Neto, diretor presidente da Eldorado Brasil.

Essa trajetória se reflete no desempenho da Eldorado no ano, que produziu volume recorde de celulose em 2021, gerando energia elétrica a partir de fonte renovável por meio de todo o resíduo do eucalipto – tecnologia inédita no país. Atualmente, 96% da energia consumida na operação da fábrica provêm de fontes renováveis. Para que isso possa acontecer, a Eldorado Brasil compartilha valor de longo prazo com seus stakeholders e colabora­dores. “A despeito do cenário desafiador da pandemia, houve um aumento de 14,4% no quadro de funcionários, e a manutenção de uma série de iniciativas para apoiar o desenvolvimento das comunidades onde atuamos”, acrescenta De Siervi.

A cultura da inovação permanece forte, e a mais recente tecnologia implantada foi a assistente virtual Íris, admi­nistrada por inteligência artificial, que orienta os condu­tores da frota a tomar a decisão correta em determina­das situações. O resultado já foi colhido durante o ano: nenhum acidente com afastamento foi registrado.

A gestão ambiental define as ações e metas para o avanço do tema na companhia. Ao longo de toda a cadeia que envolve plantar florestas de eucalipto e transformar a madeira em celulose, há uma série de investimentos em soluções e boas práticas agrícolas, exemplificando que agronegócio e meio ambiente não precisam caminhar em lados opostos.

“A empre­sa se compromete com a conservação da biodiversidade nas suas áreas de atuação. Os indicadores ambientais (energia, água e efluentes, emissões e resíduos) são monitorados sistemati­camente, para que a companhia se torne cada vez mais eficiente”, explica Fábio de Paula, gerente de Sustentabilidade da Eldorado.

Mais produção, investindo em responsabilidade

Uma combinação de fatores, como o investimento em tecnologia, fitossanidade, combate aos incên­dios florestais, entre outros fatores, permitiram que a Eldorado atingisse a produção de 1,77 milhão de toneladas de celulose branqueada de eucalipto.

O volume produzido no ano superou em 18% a capacidade nominal da fábrica, de 1,5 milhão de toneladas. A eficiência operacional da companhia, medida por meio do máximo ritmo sustentável (MSR) sobre a média de produção, ficou em 93,6% em 2021, maior desde a partida da fábrica. Parte desse aumento provém do uso de modernas tec­nologias que automatizam os processos da fábrica, com a indústria 4.0 e da Inteligência Artificial.

A companhia controla mais de 116 mil hectares de áreas de conservação ambiental, , equivalente a 30% do total de suas áreas de atuação. “Faz parte da gestão da biodiversidade, a avaliação de áreas naturais mais ricas e importantes para a conservação, o monitoramento e a análise dos ecossistemas nas áreas onde estão localizadas as operações. Isso permite identificar os impactos do processo no sentido de mitigar os aspectos negati­vos e proteger as áreas ecologicamente sensíveis”, continua o executivo.

A empresa trabalha com indicadores específicos para acompanhar a restauração de áreas degradadas por atividades desenvolvidas antes da atuação da empresa, algumas dessas, localizadas em áreas de conservação. Um deles é o indicador de Diversidade em números de espécies e indivíduos, que apresentaram 25% e 32% das áreas monitoradas, respectivamente.

“Contamos também com projetos para potencializar os benefícios gerados pelos plantios florestais, mantendo uma matriz para identificar possíveis impactos socioambientais, sejam positivos ou negativos, oriundos de nossas atividades”, acrescenta Fábio de Paula.

Prevenção a incêndios, levando informação às pessoas

O programa também se estende para as ações de combate aos incêndios florestais como forma de re­duzir danos nas áreas da Eldorado e adjacentes. “Em 2021, houve uma redução de 90% na área afetada, em comparação ao ano anterior. Na esfera preventiva, foram ministrados treinamentos de incêndio florestal à população em geral, como parte de uma campanha ampla em todo o meio rural”, explica Fábio de Paula.

A Eldorado Brasil faz parte da Reflore/MS, Associação Sul-Mato-Grossense de Produto­res e Consumidores de Florestas Plantadas, que reúne empresas da cadeia produtiva de florestas do estado.

Em 2021, foram entregues cartilhas fo­cadas no tema Prevenção aos Incêndios Florestais, na comunidade Debrasa, em Brasilândia (MS), com o objetivo de cons­cientizar cerca de 100 famílias sobre os pre­juízos dos incêndios para a saúde e o meio ambiente. A mesma publicação foi distri­buída em escolas do município e em Água Clara (MS), para os professores criarem atividades e engajarem os alunos no tema.

Menos resíduos, respeitando o meio ambiente

Outro ponto abordado pelo relatório da Eldorado diz respeito aos resíduos sólidos, e um dos objetivos do Programa de Gestão de Resíduos Sólidos (PGRS) da companhia é reduzir a geração, com o objetivo de prevenir impactos ambientais. Os resíduos gerados pela companhia são prove­nientes do manejo florestal, da produção industrial, da operação do viveiro de mudas e das atividades relacionadas à cadeia produtiva.

As auditorias internas auxiliam nos processos e protocolos de gestão de resíduos com o objetivo de aprimorar o desempenho da gestão e diminuir eventuais desvios ambientais. Dentre as oportunida­des de melhoria, há a substituição de agroquímicos de embalagens com menor impacto ambiental, por embalagens com maior volume de produtos, maxi­mizando o uso e reduzindo o risco de desvios. Em relação aos materiais que são reciclados, a cada ano o objetivo é incrementar o volume de reciclagem.

Todo mês são checados os pesos do volume de resíduos das operações florestal e industrial. As informações são registradas em um sistema a partir do qual são gerados indicadores de monitoramento. Os dados são reportados a entidades governamentais municipais, estaduais e federais, conforme estabelece a legislação.

A companhia também mantém programas de edu­cação ambiental, treinamento para lideranças e colaboradores sobre a importância de se gerar menos resíduos.

Mais empregos, olhando para a comunidade

Já no capítulo dedicado ao social, o destaque do relatório da Eldorado Brasil é o investimento na criação de um ambiente de trabalho produtivo e apoiado por uma cultura que valoriza o desenvolvimento e o bem-estar das pes­soas. Cada um dos colaboradores desempenha um papel essencial na busca do propósito da compa­nhia e na realização dos valores no dia a dia.

Dessa maneira, a empresa se empenha em manter um ambiente justo e igualitário, livre de discrimina­ção e rico em oportunidades, incluindo as comu­nidades vizinhas. Agir com integridade é sempre a atitude correta a ser tomada. Nesse sentido, o tema Direito Humanos tem uma abordagem ampla na empresa, com 100% das unidades submetidas a essa avaliação, sendo que 78,31% dos colaborado­res receberam treinamentos relacionados ao tema em 2021, em um total de 43.283 horas.

Os desafios da pandemia persistem, mas não im­pediram a Eldorado de expandir seu quadro, com a contratação de 1.645 novos colaboradores em 2021, fechando o ano com 5.366 – período em que algumas atividades, antes em home office, voltaram a ser presenciais. A mão de obra local continua sen­do valorizada, promovendo um ciclo virtuoso social e econômico no entorno da fábrica, no município de Três Lagoas (MS), bem como em todo o estado. Temas como remuneração, benefícios, desenvolvi­mento e treinamento são constantemente compa­rados com as melhores práticas de mercado.

Os colaboradores da Eldorado Brasil contam com políticas e benefícios como forma de retenção de talentos, como planos de saúde e odontológico, vale-alimentação, convênios com farmácias locais, previdência privada e remuneração variável. Todos os investimentos que a empresa faz em tec­nologia estão relacionados às melhores condições de trabalho e maior produtividade – nunca voltadas à redução de mão de obra envolvida nas atividades.

Mais energia limpa, apostando na biomassa

A usina termoelétrica Onça Pintada, situada no mesmo complexo da fábrica de celulose da Eldorado, iniciou suas operações em abril de 2021, com capacidade instalada de 50 megawatts (MW). O empreendimento se destaca pela tecnologia para geração de energia elétrica, inédita no Brasil, usando como combustível tocos, raízes de eucalip­to e madeira considerada inservível – vitimada por pragas ou doenças; proveniente de incêndios; naturalmente mortas; quebradas por ventos; ou com déficit hídrico. Essa tecnologia permite o aproveitamento integral do eucalipto, conferindo ainda mais eficiência e sustentabilidade ao proces­so produtivo da Eldorado Brasil.

Os investimentos destinados à usina foram de R$ 400 milhões, e a energia gerada é suficiente para abastecer uma cidade de 700 mil habitantes. A companhia tem autorização para ofertar energia renovável da Onça Pintada ao Sistema Interligado Nacional (SIN); e a usina produziu, em 2021, 240.988 mil MWh, obtendo receita de R$ 76 milhões.

Mesmo antes da entrada em operação da Onça Pintada, a Eldorado já era autossuficiente na geração de energia elétrica limpa e renovável, a partir de biomassa de resíduos da produção de celulose, como a lignina e restos de madeira.

Para ter acesso ao Relatório de Sustentabilidade 2021da Eldorado Brasil Celulose (completo e online), clique aqui

Comentários
MATÉRIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

error: Este Conteúdo é protegido! O Perfil News reserva-se ao direito de proteger o seu conteúdo contra cópia e plágio.