Em sessão solene, prefeito também avisou que inauguração da nova fábrica, que gerará oito mil empregos durante a construção, já está marcada: 2024

O prefeito eleito de Ribas do Rio Pardo, João Alfredo (Psol), falou ontem, 16, durante sessão solene realizada na Câmara dos Vereadores, sobre o empreendimento que deve mudar a cidade e mexer com toda a região: o Projeto Jubarte, nova fábrica de celulose da Suzano, que será erguida no município.

Segundo Alfredo, a gigante já tem data para inaugurar: 2024. Os trabalhos de terraplanagem devem começar em março. Com investimento estimado em R$ 14 bilhões, o Projeto Jubarte deve gerar oito mil empregos durante a obra e quase 4 mil quando começar a operar.

O anúncio da compra da área e da obtenção da licença ambiental foi feito em dezembro de 2019, conforme reportagem publicada pelo Perfil News. O Jubarte deve produzir até 2,3 milhões de toneladas de celulose por ano.

Área da construção e maquete prévia do projeto. Arquivo Perfil News

“A grande mensagem que trago aqui é da Suzano Papel e Celulose. Cabe ao mundo somente uma fábrica de celulose por ano, já que se controla a oferta e a demanda, e essa da Suzano em Ribas já tem data para inaugurar: 2024. Será a maior do mundo, com capacidade para gerar 2,3 milhões de toneladas de celulose por ano, com faturamento anual de mais de R$4 bilhões. Ao longo desses quase 50 dias da nossa gestão temos mantido contato frequente com os diretores da empresa. Estamos trabalhando para preparar a cidade para recebe-la. É um investimento de R$14 bilhões, que vai gerar oito mil empregos no auge da construção e 3.398 diretos e indiretos quando passar a funcionar. Essa também tem sido nossa grande preocupação: gerar empregos. Temos a informação de que em março já inicia a terraplanagem”, disse o prefeito.

2014: o nascimento da Jubarte

A ideia do Projeto Jubarte nasceu em 2014, quando uma audiência pública apresentou os impactos ambientais da implantação da obra, então chamada de Celulose Rio Pardense e Energia, a cargo da CRPE Holding S.A.

Durante a audiência havia sido anunciado, prematuramente, o início das obras para 2015, com inauguração prevista para 2018. De lá para cá, o panorama mundial da celulose mudou. Então, ninguém imaginava, por exemplo, que a toda-poderosa Fibria seria adquirida pela Suzano – que, em 2019, assumiu o projeto da CRPE, comprou terras e fincou a bandeira do Projeto Jubarte na área da Fazenda Boi Preto.

Logística: área adquirida pela Suzano, na Fazenda Boi Preto: às margens da BR-262, ao lado do Rio Verde.

Ribas do Rio Pardo possui o maior maciço florestal do Brasil, com 230 mil hectares de floresta, o que torna a cidade um ponto estratégico para o futuro empreendimento.

Autoridades políticas, investidores, além do representante da Pöyry Consultoria participaram da Audiência Pública realizada n anoite de quinta-feira em Ribas do Rio Pardo (Fotos: Ricardo Ojeda e Edivelton Kologi)
Fotos da audiência pública de 2014: o nascimento da Jubarte. Participaram do evento, entre outros, a então vice-governadora Simone Tebet e a prefeita de Três Lagoas à epoca, Marcia Moura.
Audiência aconteceu no ginásio municipal de esportes. Foto: Arquivo
Comentários