Unidade hospitalar será estratégica para a região do Bolsão e está sendo construída ao custo de aproximadamente R$ 56 milhões

O Governo do Estado repassou, este ano, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (SES), recursos da ordem de R$ 17.008.098,066 à empresa Sial, que é responsável pela construção do Hospital Regional de Três Lagoas. “Com isso, os pagamentos para a construtora encontram-se em dia, não justificando paralisações dos serviços e a expectativa de entrega até o final deste ano”, afirma o secretário estadual de Saúde Geraldo Resende. As obras encontram-se executadas em 91%.

Na semana passada, alguns trabalhadores entraram em greve, alegando falta de pagamento de salários e a Sial, por sua vez, alegou atrasos nos repasses do Governo do Estado. Na terça-feira (15) a SES emitiu uma nota de esclarecimento, afirmando que dois pagamentos, referentes a 39ª e 40ª medições, ainda não tinham sido feitos porque a empresa Sial não tinha emitido as notas respectivas. Parte da 39ª foi paga na terça-feira (22).

Em relação aos pagamentos mais recentes, a Secretaria de Estado de Saúde disponibilizou para a Agesul pagar à Sial, em 11 de setembro, R$ 1,7 milhão; e mais R$ 1,6 milhão em 14 de setembro, referentes ao pagamento da 37ª e 38ª medições da obra do Hospital Regional de Três Lagoas.

Na terça-feira, (15), foi feito o pagamento de mais R$ 554,8 mil. No dia 16.09, a empresa recebeu mais R$ 1.40.881,78; na última terça-feira, dia 22.09, foram transferidos R$ 1.063.352,19 à construtora, referentes a parte da 39ª medição.

“Esperamos que essa obra esteja pronta e seja entregue até o final deste ano. Houve vários atrasos e adiamentos. Inicialmente, a previsão de entrega era para março deste ano; depois, pediram para ser em julho, outubro e agora deve ser estabelecido um novo prazo, mas esperamos que seja até dezembro”, conclui o secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende.

O Hospital

O Hospital Regional de Três Lagoas será uma unidade estratégica para o atendimento hospitalar na região do Bolsão, demandando um investimento de mais de R$ 56 milhões, sendo R$ 21 milhões do Governo do Estado e o restante oriundo do BNDES. Será referência no atendimento de média e alta complexidade para os moradores de Água Clara, Aparecida do Taboado, Bataguassu, Brasilândia, Cassilândia, Inocência, Paranaíba, Santa Rita do Pardo, Selvíria e Três Lagoas.

Construído em um terreno de 26.466,28m², o prédio de 15.687,00 m² contará com blocos setorizados: Bloco A, Bloco B, Bloco D e os anexos. No bloco A funcionarão os serviços de emergência e urgência, psiquiatria, diagnóstico, tomografia, ressonância magnética, Raios-X e ultrassonografia. A estrutura contará com ambulatórios, leitos, centro cirúrgico, auditório, salas de aulas, laboratórios, esterilização e área técnica dos equipamentos de climatização do centro cirúrgico.

O Bloco B contará com a farmácia, hemodinâmica, diretoria, coordenação, pediatria, alojamento, enfermaria, isolamento, elevador e escada de acesso para o bloco A e casa de máquinas. No Bloco D serão instaladas a lavanderia, cozinha e vestiários.

(*) Ricardo Minella, SES

Comentários