“A Sanesul precisa cumprir a lei Municipal. Estamos em período de calamidade pública, onde uma das formas de prevenção do Coronavírus é a higienização das mãos. O corte de água é algo que não podemos aceitar agora”, disse o prefeito

Depois de receber a contranotificação da Empresa de Saneamento do Estado de Mato Grosso do Sul (Sanesul) e submeter à Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Mato Grosso do Sul (AGEPAN), a Prefeitura de Três Lagoas decidiu mover uma ação civil pública contra a concessionária de águas e esgoto para fazer cumprir a legislação municipal.

O prefeito de Três Lagoas, Angelo Chaves Guerreiro, solicitou ao corpo jurídico da Prefeitura, que redigisse a ação, que já foi protocolada na justiça e aguarda a decisão da juíza responsável.

“A Sanesul precisa cumprir a lei Municipal. Estamos em período de calamidade pública, onde uma das formas de prevenção do Coronavírus é a higienização das mãos. O corte de água é algo que não podemos aceitar agora. A Sanesul precisa fornecer água a todos os moradores”, afirmou o prefeito.

O Programa de Proteção e Defesa do Consumidor de Três Lagoas (PROCON-TL) também realizou uma notificação com auto de infração contra a Sanesul, devido à falta de fornecimento de água.

“A SANESUL está realizando um número grande de corte de água, e não possui equipe para a religação dentro do prazo determinado. Essa é outra falha em que estamos lutando para que não ocorra”, informou Adenaldo Nunes, responsável pelo PROCON.

Leia mais:




Entrevista Walter Carneiro Jr, Presidente da Sanesul

Nesta entrevista falaremos sobre investimentos no Estado, parceria público e privada, investimentos em Três Lagoas.Também será abordado sobre os cortes do fornecimento de água em tempos da pandemia, situação que está trazendo muitos transtornos para a população de Três Lagoas e do Estado.

Gepostet von Ricardo Ojeda am Mittwoch, 29. Juli 2020
Comentários